O essencial do UX Writing: Tudo que você precisa saber para otimizar o UX Writing nos seus aplicativos mobile

Até os aplicativos mobile mais impressionantes e únicos precisam de UX Writing de qualidade para guiar usuários pela experiência in-app. Isso vale para todas as categorias de aplicativos e nunca deve ser ignorado durante o processo de otimização de aplicativos mobile. Para garantir que os usuários tenham a melhor experiência possível, nós criamos este guia para os profissionais de mobile marketing que desejam aprender mais sobre UX Writing – desde definições cruciais até melhores práticas.

O que é UX Writing?

UX Writing, ou Escrita UX, é o processo de redigir os textos in-app que são necessários para ajudar o usuário a operar e navegar pelo aplicativo eficientemente. Isso é importante porque o UX Writing determina como os usuários vão interagir com seu produto. Para isso, os redatores UX precisam identificar o tipo de comunicação que deve ser usada e – assim como com SEO e ASO – escolher as melhores palavras para cada situação. Por causa da natureza do UX Writing, essas decisões precisam ser informadas pelo público-alvo do aplicativo mobile, adaptando-as de acordo com as necessidades e dificuldades desse público.

Cinco exemplos de elementos essenciais no UX Writing para aplicativos mobile

  1. Call-to-action (CTA): Um CTA convida os usuários a completar uma ação específica. Esse é um aspecto fundamental do UX Writing que pode ter um efeito significante no alcance das suas metas. Como regra geral, os CTAs são mais bem-sucedidos quando curtos e concisos - e é essencial que seus CTAs deixem claro qual ação será completada caso o usuário decida clicar. Por exemplo, se seu aplicativo mobile usa o modelo freemium, você pode enviar um anúncio intersticial com um CTA para fazer o upgrade para o serviço premium. Nesse cenário, o CTA pode simplesmente ser "Fazer upgrade agora". Embora seja uma comunicação bastante direta com o usuário, isso o previne de clicar acidentalmente no CTA e cair em uma página que não o interessa.

  2. Tooltips: Algumas das funções mais úteis do aplicativo necessitam de uma explicação mais detalhada. É aí que os tool tips, ou dicas de contexto, podem ajudar os usuários a entender como tirar o máximo do seu aplicativo mobile. Tooltips são uma ótima maneira de melhorar o onboarding e manter seus usuários atualizados sobre novas ferramentas que eles talvez não entendam. Para não perturbá-los, você pode incluir tool tips como um ícone de ajuda ou, até mesmo, como uma ponto de interrogação, que pode ser expandido para uma explicação detalhada de cada ferramenta.

  3. Notificação de sucesso/fracasso: Esse tipo de UX Writing foi criado para informar os usuários quando uma ação foi completada ou se um problema ocorreu ao tentar completar a ação. Isso é especialmente útil para os usuários durante sua jornada pelo funil do usuário. Por exemplo, se o pagamento do usuário não for bem-sucedido, é fundamental que ele seja informado sobre isso. Isso evita confusões e garante que o usuário pode tentar novamente.

    As notificações de fracasso devem dar informações que permitam aos usuários seguir em frente com facilidade. Isso pode evitar que eles percam o interesse antes de completar uma ação essencial, por exemplo, adicionar items ao carrinho ou um evento de compra.

  4. Opções de navegação: Pode ocorrer de o usuário ter várias formas de operar o aplicativo de acordo com necessidades individuais. Nesse cenário, você precisa informá-lo sobre a capacidade de escolher a ação desejada. Por exemplo, depois que o usuário adicionar um item ao carrinho, você pode apresentar duas opções: finalizar a compra diretamente ou continuar comprando mais produtos? É nesse momento que você deve dar opções alternativas de navegação para o usuário, a fim de fornecer uma experiência otimizada.

  5. Gerenciamento de contas: Você precisa oferecer algum tipo de assistência quando o usuário cria uma conta nova, atualiza suas informações e descobre outros aspectos do gerenciamento de contas. Esse tipo de UX Writing tem por objetivo simplificar o processo de manutenção das informações da conta e gerenciar as diversas opções de conta que seu aplicativo tem a oferecer. Por exemplo, se um usuário quiser conectar redes sociais à conta dele, ele precisará ser guiado por esse processo com um UX Writing eficiente.

Quem é responsável pelo UX Writing?

Isso varia, a depender do tamanho, dos recursos e da estrutura da sua empresa. Teoricamente, a experiência dos desenvolvedores, UX designers, redatores e profissionais de marketing os tornam aptos ao UX Writing. No mundo ideal, as empresas teriam UX writers dedicados que poderiam também fazer testes A/B de diferentes textos para melhores resultados. Porém, mesmo se as verbas estiverem apertadas, as marcas devem assegurar que o UX Writing não seja criado apenas por desenvolvedores, que estão mais concentrados na funcionalidade do aplicativo do que na conexão com o público-alvo. Também é importante destacar que o UX Writing necessita de uma habilidade específica para guiar usuários pela experiência, e isso nem sempre é o mesmo que uma redação publicitária bem-sucedida.

Qual é a diferença de UX Writing e Microcopy?

UX Writing e Microcopy (microtexto, em tradução literal) não são termos intercambiáveis. Microcopy designa os textos curtos que são encontrados no aplicativo e auxiliam os usuários no uso do aplicativo. Embora essa seja uma parte essencial do UX Writing, há vários outros tipos de textos necessários para fornecer aos usuários a melhor experiência possível. Por exemplo, talvez você precise fornecer um texto mais longo para explicar o recurso com tool tips detalhados.

Melhores práticas: 10 regras de UX Writing para ótimos resultados

  1. Trabalhe no UX Writing durante o desenvolvimento para identificar problemas de design: O UX Writing pode ser uma forma inteligente de identificar problemas no seu design UX – o que é melhor detectar cedo no processo de desenvolvimento. Por exemplo, se você tem um recurso que precisa de uma explicação longa para ser operado, pode ser que o recurso em si seja o problema. Você pode procurar soluções para tornar o recurso mais intuitivo e fácil de usar antes de implementá-lo.

  2. Mantenha um estilo de escrita consistente na sua UX: É essencial que seu UX Writing ofereça uma experiência coerente ao usuário. Independentemente do número de caracteres, seu UX Writing deve manter um tom consistente em todo o aplicativo. Isso deve ser desenvolvido com base no seu público-alvo e otimizado testando o que funciona melhor para seus usuários.

  3. Use diferentes fontes, cores e ferramentas de texto: Um UX Writing bem-sucedido frequentemente destaca os aspectos mais importantes da frase usando cores, fontes diferentes e destaques de texto, como negrito ou itálico. Isso pode passar despercebido por alguns usuários, mas basta visitar os aplicativos mobile mais populares para notar que isso é implementado com frequência como uma técnica de UX Writing. No entanto, os redatores devem trabalhar com UX designers durante esse estágio de otimização e testar todas as variantes para obterem os melhores resultados.

  4. Crie e otimize seu fluxo para melhores resultados: É importante criar um fluxo para o processo de UX Writing, pois esses textos serão implementados pelo aplicativo mobile inteiro. Você pode priorizar a experiência de onboarding para assegurar que seu texto irá guiar o usuário corretamente. Seja lá como você escolha priorizar certas áreas do seu aplicativo, é importante fixar um fluxo, assegurar que cada aspecto foi tratado e dar atenção necessária a cada detalhe.

  5. Exiba informação seletivamente: Nem todo UX Writing precisa ser exibido imediatamente ao usuário. É importante identificar o texto "crítico" que precisa ser mostrado e o texto que é melhor manter mais afastado, em ícones ou pop-ups. Incluir informações desnecessariamente pode frustrar os usuários e até causar desistência. Por exemplo, se um usuário usa certo recurso do aplicativo com regularidade, ele não quer ter de ver e ignorar o tempo todo um texto de UX sobre o funcionamento desse recurso.

  6. Evite jargões que podem causar confusão: Talvez você fique tentado a usar termos técnicos e jargões da indústria para ser mais preciso. Porém, isso pode prejudicar a experiência do usuário geral. Concentre-se na simplicidade e clareza para garantir que os usuários possam entender quais ações eles devem tomar e como navegar pelo aplicativo. Você também pode tornar suas mensagens claríssimas usando o tempo presente e escrevendo na voz ativa.

  7. Use uma linguagem coloquial: Dependendo da natureza do seu aplicativo, você pode usar o UX Writing como uma oportunidade para construir lealdade à marca e se conectar com seu público-alvo usando uma linguagem coloquial. Em muitos casos, você pode mostrar o lado humano da marca por meio da sua escolha de palavras. Por exemplo, usar um tom bem-humorado e mais informal para passar sua mensagem. Em um aplicativo de namoro, por exemplo, para incentivar seus usuários a carregar uma foto no perfil, a frase "carregue uma foto" é menos provável de engajar seu público do que "mostre seu sorriso".

  8. Reconheça o valor do feedback do usuário: Receber feedback dos usuários é uma forma inteligente de assegurar que você está respondendo ao que realmente importa para seus clientes. Quando um usuário tira tempo para oferecer insights gratuitamente sobre como seu aplicativo pode melhorar, é essencial que as marcas reconheçam o valor desse feedback e respondam o mais cedo possível. Essa é uma forma inteligente de reter usuários por mais tempo e aumentar o LTV. Manter-se atento ao feedback do usuário também é uma ótima maneira de construir lealdade à marca e deixar que os usuários saibam que você se importa que eles tenham uma experiência de qualidade.

  9. Executar testes A/B em todas as áreas do seu UX Writing: Você sempre deve procurar maneiras de otimizar seu UX Writing. Testes A/B permitem identificar otimizações sem fazer mudanças que podem prejudicar suas metas. Por exemplo, você pode descobrir que pequenas mudanças nas mensagens de onboarding reduzem a rotatividade e aumentam o LTV. Também é possível executar testes A/B para testas áreas como mensagens de chatbots.

  10. Baseie em dados suas decisões de UX Writing: Sempre é bom basear suas decisões em dados ao otimizar seu UX Writing. Ao tomar decisões baseadas em dados, você pode confiar que suas mudanças estão alinhadas aos comportamentos e às necessidades dos usuários. Usar dados para identificar áreas de melhoria também pode aumentar a receita e garantir que você está usando seu tempo otimizando áreas que mais precisam de melhorias. Por exemplo, se você descobrir que há um número excepcionalmente alta de usuários abandonando seus carrinhos antes de completar a compra no aplicativo, talvez haja um problema com seu UX Writing no momento do pagamento.

Para mais insights sobre mobile marketing, leia nosso guia para entender a jornada do usuário em aplicativos mobile. Você também pode se interessar em ler nossas 7 dicas para otimizar sua estratégia criativa de reengajamento.


Assine nossa newsletter: